12 de dez de 2012

Christimas Love - Part 4

"Você tem um estilo, tem atitude
Quero ouvir você dizer meu nome"
(With Ur Love - Cher Lloyd)

Logo quando acordei, levantei e coloquei uma roupa bem quente, teve uma tempestade de neve durante a madrugada e agora a rua inteira está coberta de neve. Isso tudo é tão lindo, tão mágico, tão aconchegante, mesmo pelo fato de ser frio. Tomei meu café da manhã e sai logo para o orfanato, lembrei que |Seu nome| estaria lá e também precisava fazer umas coisinhas. Quando cheguei lá, ela estava com uma menininha sentada no seu colo, e ao mesmo tempo estava contando uma história. Fiquei a observando, e quando terminou, olhou para frente e me viu ali, sorriu. As crianças foram tomar café da manhã, e eu fui ao seu encontro, sorri ao vê-la e a abracei.
- Oi! - Ela falou sorrindo e o desfazendo logo em seguida.
- Sorri de novo?
- Porque?
- Por que eu quero ver seu sorriso.
- Virou dentista? - Ela riu.
- Isso, sorri mais uma vez agora.
- Porque?
- Seu sorriso é tão brilhante, tão incrível, tão ... meu. - Falei. Ela ficou sem graça e olhou para baixo.
- Ér, eu preciso ir.
- Não precisa nada, vem, vamos comigo, vou te levar à um lugar legal. - A puxei e saí andando com ela, crianças estavam brincando na rua, pais tirando neve dos carros ... que nostalgia insistente. Chegamos ao tal local, ela abriu um sorriso, automaticamente sorri também.
- Que lugar lindo Justin!
- Lindo igual a você. - Falei pegando na sua mão.
- Justin, acho melhor você parar com isso.
- Parar com o que? De admirar esses seus olhos hipnotizantes?
- Com isso! De ficar falando coisas.
- Que coisas?
- QUE ME DEIXAM COM VERGONHA, EU DEVO TA PARECENDO UM PIMENTÃO. - Ela falou emburrada, fazendo beiço.
- Awn, você fica linda brava sabia? - Ela me deu um olhar de lado. - Tá bom, eu paro, mas fique sabendo que tudo o que eu falo é verdade. Ficamos conversando, mas chegou uma hora que eu já não aguentava mais, precisava falar tudo. Tudo que eu sinto, um sentimento tão forte que nem sei explicar na verdade.
- |Seu nome|, preciso te falar uma coisa. - Ela olhou para mim para continuar. - Sabe, desde o dia em que você chegou, naquele aeroporto, sorrindo e com um humor que ninguém daqui tem, eu tive
uma sensação que nunca tive. A cada dia que te via, a cada hora que passou, eu fiquei mais hipnotizado com você. A cada abraço, ficava inebriado como seu cheiro doce. E hoje, ao ver você sorrir e sorrir também automaticamente, percebi que te amo.


Quando Justin falou que me amava, eu simplesmente tomei um baque, fiquei paralisada, enquanto ele me olhava como se estivesse me pedindo uma resposta. Apenas o abracei com aconchego, mas nem sabia porque estava fazendo aquilo. Será que eu também o amo? Não seria muito pouco tempo para se apaixonar por uma pessoa? Não sei, apenas descobrindo. Quando me soltei do abraço, Justin me olhava intensamente com seus olhos cor de mel, cheguei mais perto e colei meus lábios aos seus. Entreabri minha boca, dando passagem à ele. Logo nosso beijo se tornou completo, como se tivéssemos nos tornado apenas um, uma alma.
- Uau, como assim? - Ele falou depois que o folego nos faltou.
- Eu não sei ... Preciso ir. - Eu tinha que ir para casa almoçar e depois teria que ajudar no orfanato, sem falar que isso foi uma desculpa pra não passar vergonha. Andei até em casa com pressa, nem olhando por onde ia, quando cheguei vi meu pai sentados em frente à TV, junto com Chris, enquanto mamãe estava preparando o almoço. Dei oi à todos e subi para o meu quarto, tirei minha jaqueta e liguei o aquecedor, fiquei pensando naquele beijo, que fui eu mesma que comecei. Agora eu estou com medo, dele não ter gostado de mim, ou se eu babei demais, sei lá.

[...]

Já é noite e eu não paro de pensar naquele maldito beijo, porque que eu tinha que beijar ele? Eu nem sei porque eu fiz isso, não sei se gosto dele, nem se ele realmente me ama ou tava tirando uma com minha cara. Porque eu fui sair do Brasil? Tava tão bom lá! Mas tá, eu passei muito tempo lá, agora eu quero curtir minha família. Acho melhor eu tomar um banho para relaxar, peguei meu pijama e tudo que precisava, corri para o banheiro e tirei minha roupa, em segundos estava em baixo da água quente deliciosa que descia pelos canos. Meu corpo relaxou totalmente, não querendo mais sair do banheiro. Mas infelizmente, tive que sair pois senão iria dormir ali dentro mesmo. Quando fechei o chuveiro, voltei ao meu quarto e coloquei meu pijama quente e 2 meias para completar. Estava nevando lá fora, novamente, uma sensação de aconchego veio à tona, quando lembrei dos meus tempos de criança, quando era inocente ...
- Eai maninha? Pensando muito? - Entrou Chris no quarto interrompendo meus pensamentos.
- Não sabe bater Christian? - Falei virando para ele.
- Sabe que eu não sei! - Ele riu e se deitou do meu lado - Estava com tanta saudade de você |Seu nome|.
- Eu também Chris, você sabe que vai ser sempre meu pandinha *-*
- E você minha ursinha descabelada. - Ele riu e eu r junto, dando-o um abraço em seguida. No fim, dormimos assim mesmo, abraços.

CONTINUA COM + 5 COMENTÁRIOS
NEGAS! AI ESTÁ O CAPÍTULO 4! ESPERO QUE TENHAM GOSTADOOO! A FIC TA NA METADE OU NO FIM? VOCÊS QUE DECIDEM SE DEVO FAZER ATÉ O CAP. 10 OU TERMINAR NO 5! BEIJO, ADORO VOCÊS!
Isa

4 comentários:

  1. Mais de 10 capituloo please né marida!
    TA PERFEITA! *-*
    By: Jéssica

    ResponderExcluir
  2. Mais de 10 capitulos :) esta perfeita please continua ;))))

    ResponderExcluir
  3. por favor 10 20 30 sla continua por favor bjosss muito bom amei seu blog
    ah e pra completar vc é a favor do casal jelena??? responda
    by- liah e júh

    ResponderExcluir
  4. Taá lindoo fofa, acho sinceramente que deve terminar no cap. 30 pq a #IB é muito boa, continua logoo! Beeijoss ^~^

    ResponderExcluir